SEMANA DA COMUNICAÇÃO 2015: Discussão para além do tema ‘direito à comunicação’

O debate da democratização da comunicação não é nova, mas é essencial para a vida da sociedade brasileira

Discutir temas relevantes sob a perspectiva da comunicação como direito humano. Este foi um dos pontos tratados na palestra “Direito à comunicação”, apresentado pela jornalista Natasha Cruz, nesta quinta-feira, 10, na Faculdade 7 de Setembro (FA7). O objetivo era debater questões relacionadas à democratização dos meios de comunicação.

Natasha Cruz é assessora de Comunicação do CEDECA (Fotos: Beatriz Mendes)

Natasha Cruz é assessora de Comunicação do CEDECA (Fotos: Beatriz Mendes)

Natasha Cruz, jornalista formada pelo Centro Universitário Estácio/FIC e assessora de Comunicação do Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (CEDECA), sempre foi interessada em temas relacionados aos direitos humanos, causas sociais. Na prática, ainda atuou na Executiva Nacional dos Estudantes de Comunicação Social (Enecos). ‘’Não faz sentido estudar comunicação social sem saber os seus direitos’’, disse.

No debate, um dos temas levantados durante foi a manipulação de informações de grandes grupos de comunicação e o mercado da comunicação. ‘’Hoje ele tem 70% de emissoras e retransmissoras, editoras e diversas revistas, fora o espectro de TV, rádio e também o impresso. O mercado mundial de comunicação é mais lucrativo do que a extração de petróleo”, ressalta Natasha.

O tema da redução da maioridade penal entrou na pauta. Discutiram-se exemplos de jornalistas que usam o espaço em seus programas de rádio e TV, para mostrar seu posicionamento diante da situação, gerando uma manipulação direta para o receptor. Para a jornalista é absolutamente salutar para uma sociedade democrática, que a gente tenha uma representação diversa, com o exercício da democracia. “Quando se tem onze famílias, que hoje representam o sistema de comunicação do Brasil, a gente, de fato, não consegue representar diversidade e regionalidade”, criticou.

No debate, um dos temas levantados foi a manipulação de informações ( Foto: Beatriz Mendes)

No debate, um dos temas levantados foi a manipulação de informações ( Foto: Beatriz Mendes)

Natasha também destacou um dos problemas enfrentados por ela em algumas manifestações e a importância de se debater sobre o direito à comunicação ‘’Tem muita pouca gente preocupada com o debate da democratização da comunicação. Às vezes, parece ser um trabalho muito técnico, mas, na verdade, é um debate que desrespeita todo mundo. Já nas manifestações de ruas, são as distorções dos jornais e a repressão policial”, lembrou.

Segundo Natasha, os currículos dos cursos de Comunicação têm um recorte cada vez mais técnico. “Com isso, a gente não consegue se aprofundar em um debate que, de fato, é a comunicação social, que se aprofunda sobre direitos humanos, sobre qual é o papel da comunicação social e o papel do comunicador”, concluiu a jornalista, promete voltar à FA7 para um debate no campo estudantil e sobre o direito à comunicação social.

Ivan Lucas
4º semestre

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *